5 maneiras de preparar chuveiro e lava-olhos para uma emergência

Os profissionais de segurança do trabalho sabem a importância de usar corretamente os chuveiros e lava-olhos de emergência para eliminar substâncias perigosas dos olhos, rosto ou corpo. Eles também sabem que o verdadeiro teste de qualquer programa de segurança depende do nível de preparação antes da ocorrência de uma emergência e o procedimento de emergência imediatamente após a situação.

Os seguintes elementos de um programa de segurança no trabalho se concentram em melhorar os processos antes e depois de ocorrer uma lesão.

1 – Realização de levantamento para identificar riscos e necessidades de equipamentos

Comece com uma avaliação completa que identifica as áreas em risco, os riscos potenciais e as necessidades de emergência. Em geral, um levantamento leva em consideração os principais fatores do local de trabalho, tais como a localização do equipamento, o abastecimento de água, a temperatura da água, a acessibilidade e a seleção do equipamento.

Alguns fabricantes de produtos oferecem levantamentos gratuitos para sistemas de chuveiro e lava-olhos de emergência para garantir que seus equipamentos estejam em bom estado de funcionamento, sejam compatíveis com as normas e/ou atingem os objetivos corporativos designados ou as melhores práticas de segurança.

A parte de um levantamento inclui uma avaliação baseada em atividades. Por exemplo, se as operações de moagem, lixamento ou usinagem estiverem ocorrendo, são necessárias as unidades portáteis de lava-olhos. Se os produtos químicos estiverem sendo utilizados no local de trabalho, o funcionário seria salpicado com um produto químico corrosivo ou ficaria exposto a um vapor químico e, portanto, precisaria de um acesso rápido ao chuveiro para enxaguar todo o corpo.

Referencie às Fichas de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) fornecidas pelos fabricantes, distribuidores ou importadores de produtos químicos para cada produto químico perigoso localizado no local de trabalho. As FISPQs incluem informações como dados físicos, toxicidade, efeitos para a saúde, primeiros socorros, reatividade, armazenamento, disposição, equipamento de proteção e procedimentos de manuseio de derramamentos.

Também é importante fazer referência às normas técnicas. No Brasil, a norma ABNT NBR 16291:2014 estabelece os requisitos mínimos de desempenho e uso para os lava-olhos e chuveiros no tratamento de emergência dos olhos ou corpo de uma pessoa que tenha sido exposta a materiais perigosos. Esta norma está baseada a norma nacional americana para os lava-olhos de emergência, ANSI/ISEA Z358.1–2014.

Além do levantamento inicial, é fundamental rever periodicamente a colocação, a instalação, as normas e os requisitos, bem como os últimos avanços de produtos/tecnologia para melhorar o desempenho de segurança. Também não se esqueça de realizar levantamentos no local em caso de expansão, relocalização ou modificação dos processos de trabalho.

2 – Conhecer as opções de equipamentos de emergência

Como parte da avaliação no local de trabalho, serão discutidas as soluções de conformidade e recomendações de montagem. Três tipos principais de lava-olhos e chuveiro de emergência são:

Lava-olhos de emergência:

  • São eficaz para derramamentos, salpicos, poeiras que possam afetar apenas os olhos.
  • Fornecem um fluxo controlado de fluido de lavagem para os dois olhos ao mesmo tempo.
  • Fornecem fluido de lavagem com vazão contínua mínima de 1,5 L/min por um período
    igual ou maior que 15 min.

Lava-olhos/face de emergência:

  • São usados quando o rosto inteiro esteja em risco de derrames, salpicos, poeiras e detritos.
  • Fornecem o fluido de lavagem simultaneamente para os olhos e o rosto.
  • Fornecem fluido de lavagem com vazão contínua mínima de 11,4 L/min para enxaguar os olhos e todo o rosto.

Chuveiros de emergência:

  • São usados quando áreas maiores do corpo estejam em risco.
  • Não são apropriados para os olhos (uma combinação de lava-olhos e chuveiro podem ser utilizados simultaneamente para lavar os olhos e enxaguar o corpo).
  • Fornecem fluido de lavagem com vazão contínua mínima de 75 L/min.

3 – Concentrar-se na localização e colocação adequadas

Um número adequado de unidades deve estar localizado perto de perigos, facilmente visto e acessado, e em bom estado de funcionamento. Algumas das melhores práticas para a colocação de dispositivos de emergência são:

  • Os equipamentos devem estar a distância máxima de 16 metros do perigo potencial e alcançados no máximo 10 segundos.
  • O acesso ao equipamento não deve ser obstruído por outros perigos que possam impedir o uso.
  • O equipamento deve estar no mesmo nível de perigo. Se houver portas entre o perigo e o equipamento, eles devem balançar na direção da viagem.
  • Se a capacidade do trabalhador para caminhar ou mover-se pode ser afetada pela exposição aos produtos químicos, o equipamento deve ser colocado mais perto do trabalhador.
  • A altura de lava-olhos deve estar entre 83,8 e 134,6 cm, e medida do chão ao fluxo de água (não a borda do lavatório).
  • Se os produtos químicos altamente corrosivos forem utilizados, o chuveiro ou lava-olhos devem ser colocados imediatamente ao lado do perigo.
  • Se um potencial derramamento de produtos químicos em uma área pode afetar vários trabalhadores, devem estar instalados os equipamentos suficientes para que todos possam acessar.
  • Todo o equipamento deve ser identificado com sinalização altamente visível (amarelo brilhante é fácil de detectar) que está bem iluminado.

4- Treinamento de funcionários e teste dos equipamentos

Os funcionários devem ser instruídos sobre a localização dos equipamentos, como usá-los efetivamente e como alertar as equipes de resposta a emergências durante uma situação de emergência. Embora a eficácia do produto seja importante, a conscientização, treinamento e confiança dos funcionários podem ajudá-los a tomar decisões mais bem informadas antes, durante e depois de uma situação de emergência.

Inspeções – e ativações – semanais de equipamentos devem ser realizadas e documentadas. Os fabricantes fornecem materiais para auxiliar testes semanais, como um testador de chuveiro projetado com um funil à prova d’água. O funil direciona a água para um dreno ou balde, e evita salpicos de água na área circundante. Para testar os lava-olhos, um medidor de plástico transparente apresenta instruções claras sobre como testar o sistema de lava-olhos ou lava-olhos/face.

5 – Procedimento para resposta a emergências

Todos os funcionários devem ser treinados sobre as medidas a serem tomadas para ajudar o(s) funcionário(s) afetado(s) e como comunicar emergências à equipe médica de emergência. As sinalizações afixadas aos chuveiros e lavas-olhos ajudam a acelerar a resposta a emergências.

Após a ativação dos equipamentos, os dispositivos de sinalização ativam automaticamente uma luz intermitente altamente visível e um som alto projetado para cortar o ruído ambiente. Os sistemas de sinalização chamam os outros para ajudar, chamam atenção para a localização de necessidade, alertam a gestão para entrar em contato com os primeiros atendentes e fornecem monitoramento remoto de equipamentos de segurança.

Fonte

Leave a Reply

Your email address will not be published.